NOTÍCIAS

Visita do conselheiro Artur Cunha Lima ao hospital

O conselheiro Artur Cunha Lima visitou segunda-feira, dia 22, o Hospital Napoleão Laureano, quando entregou, como representante do presidente Fábio Nogueira, uma significativa doação do Tribunal de Contas do Estado em equipamentos de informática. O conselheiro Arthur foi recebido pelos diretores da Fundação Laureano, Antonio Carneiro Arnaud e Ivo Sérgio Correia Borges da Fonseca, e pelos diretores do hospital Severino Celestino da Silva e Marcelo de Oliveira... ler mais

Encontro Internacional de Radioterapia

A Paraíba foi o único Estado brasileiro a participar do Encontro Bienal de Usuários Elekta, realizado em Sorrento, na Itália, um dos mais importantes eventos de apresentação de trabalhos científicos do mundo. O Hospital Napoleão Laureano, centro de referência no tratamento do câncer na região Nordeste, apresentou a pesquisa “Adaptive radiotherapy in head and neck cancer: challenges for the Brazilian public health system” (Radioterapia adaptativa em câncer de cabeça e pescoço: desafios para o sistema público de saúde brasileiro). O trabalho é assinado pelo médico Luciano Leite Rolim Moreira, radio-oncologista, a quem coube a defesa, e pelos físicos Nadja Ferreira Silva e Alberto Grochoski. O Dr. Luciano Leite explicou que a pesquisa teve por objetivo avaliar as alterações relacionadas ao volume tumoral e toxicidade em pacientes com neoplasia de cabeça e pescoço (HNC), que foram submetidos à radioterapia conformacional (RT 3D). Foram avaliados oito pacientes do sexo masculino, com idade mediana de 57, 37 anos (46 a 82 anos). Em síntese, a pesquisa demonstrou um método mais eficiente para a aplicação da radiação, de forma a atingir apenas o tumor, reduzindo os danos às áreas adjacentes saudáveis. “Desde o primeiro planejamento, sempre buscamos atingir a máxima cobertura no volume alvo com a mínima dose em órgãos de risco (notadamente medula e tronco), o que quase sempre facilita o “provável” replanejamento (das dosagens)”, explicou o Dr. Luciano Leite. Definitivamente, o Hospital Napoleão Laureano entrou na vanguarda do tratamento de câncer, no que diz respeito à qualificação de seus profissionais e ao apuro tecnológico de seus equipamentos. O Serviço de Radioterapia do hospital, é um dos mais completos e modernos do... ler mais

FUNED desenvolve exame para diagnóstico rápido e eficaz do câncer de ovário

A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de 5.680 novos casos este ano. uma equipe de pesquisa da Fundação Ezequiel Dias (Funed), coordenada pela doutora em biologia celular Luciana Maria Silva, pretende desenvolver exame laboratorial para ajudar a definir qual o melhor tratamento para a doença. Para chegar a esse exame, a pesquisadora vai fazer um amplo sequenciamento do DNA e identificar se algum gene pode tornar a mulher mais suscetível ou mais resistente aos medicamentos para o tratamento desse tipo de câncer. Por ser desenvolvido pela Funed, uma das contrapartidas é subsidiar exames para o Sistema Único de Saúde (SUS). A previsão é que esteja disponível no mercado em três anos. A pesquisa será desenvolvida no laboratório de biologia celular da fundação, que, desde 2008, tem a oncologia como uma das linhas de pesquisa. “Embora tenha baixa incidência, o câncer de ovário é altamente letal e a forma de diagnóstico é mais precária. Não é como, por exemplo, o câncer de mama”, afirma Luciana. Desde 2012, ela está empenhada na pesquisa de um método que possa ajudar os médicos a determinarem melhores procedimentos terapêuticos. “Os tumores são descobertos em estágios avançados. É importante averiguar o perfil molecular das pacientes e cruzar com os dados de tratamento para ver se algum gene se apresenta como marcador de resistência da paciente aos medicamentos,” sugere.... ler mais

Excesso de peso está relacionado com o desenvolvimento de câncer

Estudos e casos de pacientes têm mostrado que o excesso de peso tem ligação direta com alguns tipos de câncer. Um estudo mostrou que mulheres acima do peso têm mais chances de sofrerem com câncer do que homens obesos. A resposta para isso pode ser que obesidade em mulheres é responsável por dois tipos de câncer: de útero e de mama após a menopausa e o culpado é o hormônio feminino estrogênio. A produção de estrogênio é influenciada pela quantidade de gordura corporal. Assim, quanto mais gordura, mais estrogênio é produzido, e o hormônio afeta o revestimento do útero. Altos níveis de estrogênio no período pós menopausa também podem estimular o crescimento anormal de células da mama que podem resultar em câncer. Em homens, câncer de pâncreas, cólon e de reto são os que podem ser causados por excesso de peso, uma vez que esses órgãos ficam próximos ao estômago, que é o lugar onde se concentra a maior parte da gordura. Fonte:... ler mais