Áudio: Carneiro Arnaud “abre o jogo” sobre dados obscuros do Laureano e não poupa críticas a ex-diretores

Áudio: Carneiro Arnaud “abre o jogo” sobre dados obscuros do Laureano e não poupa críticas a ex-diretores

Em entrevista ao RádioBlog, o diretor presidente da Fundação Napoleão Laureano, Carneiro Arnaud, comentou as recentes denúncias veiculadas na imprensa, que tratam de possíveis irregularidades na gestão do hospital, negou as acusações e atribuiu as denúncias a ex-diretores da Fundação que, segundo ele, estariam arrependidos de terem deixado a instituição. Num bate-papo quase que informal Carneiro Arnaud discorreu sobre a história do Hospital Napoleão Laureano, que completa 57 anos de atividade, atendendo em sua maioria expressiva (90%) pacientes do Sistema Único de Saúde. Falou sobre os salários da diretoria do hospital, inclusive seu próprio salário, segundo ele de aproximadamente R$ 19 mil. Questionado, Arnaud comentou os critérios para contratação de funcionários, gerenciamento de recursos e contratação de terceirizados. Ele negou ser sócio de uma das empresas que presta serviço ao hospital e não poupou críticas àqueles que estariam fazendo as denúncias contra sua gestão. Confira a íntegra da conversa com Carneiro Arnaud: Carneiro Arnaud “abre o jogo” sobre dados obscuros do Laureano e não poupa críticas a ex-diretores – Paraíba RádioBlog 2ª Parte Carneiro Arnaud “abre o jogo” sobre dados obscuros do Laureano e não poupa críticas a ex-diretores  ...
Video: Carneiro Arnaud rebate denúncias e esclarece “guerra judicial” no Hospital Laureano

Video: Carneiro Arnaud rebate denúncias e esclarece “guerra judicial” no Hospital Laureano

Assista ao vídeo: Entrevistado nesta terça-feira (15) no programa Bastidores, da TV Master, comandado pelo comunicador Padre Albenir, o diretor da Fundação Hospital Laureano, Carneiro Arnaud, comentou a disputa judicial envolvendo a antiga e a atual gestão do hospital, rebateu recentes denúncias veiculadas na imprensa e, apesar de se contrapor a decisão justiça que determina […] Veja o Vídeo na integra:...
Convênio Fundação Laureano/Unipê

Convênio Fundação Laureano/Unipê

Os Diretores da  Fundação Laureano e do Hospital Napoleão Laureano receberam no dia 15 de janeiro do corrente ano na sede da instituição a Drª Gisely Lima, coordenadora  de cursos da Unipê quando analisaram  os termos de convênio existentes entre as duas entidades. Os detalhes do convênio foram definidos na reunião que certamente trarão reais benefícios para as duas entidades. Fonte:...
Visita ao Hospital Napoleão Laureano

Visita ao Hospital Napoleão Laureano

No dia 28 de dezembro de 2018, diretores da Fundação Laureano e do Hospital Napoleão Laureano receberam em audiência os dirigentes da ENERGISA-PB. A reunião foi solicitada pelo novo Diretor Presidente Ricardo Charbel, que se fez acompanhar do Dr. Jairo Soares Perez, Diretor Técnico e Comercial, do Dr. Araceli Ramalho, Assessor Institucional e da Sra. Ana Marina Coeli Rievers, Gerente de Comunicação e Marketing. Na ocasião vários assuntos de interesse do Hospital Napoleão Laureano foram abordados e o novo Diretor Presidente Ricardo Charbel expressou o seu desejo de que a Energisa se aproxime cada vez mais da Fundação Laureano, no sentido de obtenção de proveitos na luta contra o câncer na Paraíba. O Dr. Antonio Carneiro Arnaud agradeceu em seu nome e de todos que fazem a Fundação Laureano o gesto de cortesia dos dirigentes da Energisa. O Diretor Presidente, Dr. Ricardo Charbel enfatizou que o seu gesto de comparecer ao Hospital Napoleão Laureano decorreu dele está ciente de que a Fundação Laureano com o seu hospital vêm prestando relevantes serviços ao povo paraibano e também por saber da credibilidade que  gozam a entidade perante a Energisa da Paraiba. Fonte:...
Idosa de 101 anos que venceu o câncer troca presentes de aniversário por doações para o Hospital Laureano

Idosa de 101 anos que venceu o câncer troca presentes de aniversário por doações para o Hospital Laureano

“As discórdias que existiam antigamente existem hoje do mesmo jeito”, diz dona Inês Araújo, de João Pessoa, que recentemente completou 101 anos e, para comemorar, pediu doações ao invés de presentes, que foram entregues a outros idosos do Hospital Napoleão Laureano, referência no tratamento contra o câncer na Paraíba. “Se eu tenho tanto, não é justo que outras pessoas não tenham nada. Essa é uma das lições que a vida nos dá”, pontua. Falando palavras como ‘money’ e com um look que inclui vestido e brincos combinando, além de várias pulseiras delicadas colocadas estrategicamente em seus punhos, dona Inês, apesar dos 101 anos de idade recém completados, possui a alma incrivelmente jovem. E ela não nega: “Sinceramente, não me sinto com 101 anos. Acho que tenho uns 70, algo assim. Não me sinto velha”, garante. Sua história de vida, por si só, já seria uma grande lição para muitos jovens de hoje em dia. Casou-se aos 28 anos, em uma época em que o comum era, para as mulheres, casarem-se bem mais cedo; seu esposo – por quem até hoje é apaixonada, mesmo após ele ter falecido -, era três anos mais novo que ela (outro ponto distinto para aquele momento histórico); e em uma período em que mulheres ainda eram vistas como feitas apenas para tarefas do lar, ela trabalhou, por muito tempo no comércio – sua outra paixão. Deixou o emprego do lado somente quando a terceira filha estava para chegar e as obrigações dentro de casa começaram a pesar. Ao todo, foram 8 filhos. 18 netos e 20 bisnetos – um deles a caminho. Dona Inês...
Salve o Laureano!!!

Salve o Laureano!!!

Há dez anos, o Hospital Napoleão Laureano, referência literal no atendimento a pacientes de câncer em todo o Estado, atendia em torno de 100 pessoas portadoras de câncer com radioterapia, e com apenas um equipamento. Hoje, com três equipamentos, mas os atendimentos não passariam de 140, quando deveriam ser 300. O que ocorre? O SUS tem um teto para atendimento mensal e quando atingido os 140 pacientes, ninguém mais entra. Ou seja, há uma fila de pessoas diagnosticadas com câncer “condenadas” à morte porque o Sistema Único de Saúde não autoriza além do teto. Resumindo: o hospital pode atender a demanda, mas precisa dos recursos e autorização, e nada. É a mesma coisa de nadar, nadar e morrer na praia. Existem ações pontuais, a exemplo da ‘Corrida do Bem’, idealizada pelo deputado Bruno Cunha Lima, com o objetivo de arrecadar fundos para o hospital, que é filantrópico. É preciso que façamos uma ‘mea culpa’ e cobremos atitude pos parte de nós mesmos em relação ao hospital. Também não estou aqui dizendo que, com isso, vamos salvar o Laureano. Mas, sem demagogia e ideologia, não podemos ignorar. Me remeteu a tal ‘Lista da Morte’ do Hospital Napoleão Laureano, nos idos de 2006, quando precisou-se haver uma intervenção por parte do Ministério Público Federal, com debate envolvendo as Secretarias de Saúde do Estado e de João Pessoa. À época, não haviam recursos mesmos, nem tantos equipamentos e nenhum outro centro ao qual as pessoas poderiam recorrer. Hoje, não temos ‘lista’ – não por esse ângulo -, temos equipamentos para atender mais pessoas, especialmente as carentes, e um teto sem sentido que...